Notícias

29 de outubro de 2018

Cabeças que pensam, atitudes que movem

Galeria de Fotos

A arte emocionou e transformou os estudantes e pais que estiveram presentes na 5ª edição do “Cabeças que Pensam, Atitudes que Movem”, realizada no dia 27 de outubro. O ciclo de atividades e apresentações mesclou música e dança e contou com a participação do Werner Silveira (Percussionista da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais), do Daniel Christófaro (Professor na Fundação de Educação Física) e do Grupo Sarandeiros, com a apresentação do espetáculo Bandeiras de Minas.

TEMA CENTRAL

A Arte Emociona e Transforma - Intervenção, transformação social, música e dança.

CIRCUITO CULTURAL

        I.    MOMENTO 1 – As lendas do Uirapuru e do Pássaro de Fogo

Expoentes musicais de uma mesma época, Villa-Lobos e Stravinsky traduzem lendas regionais para a música, sob contextos civilizatórios diferentes, permitindo o entendimento e a afirmação da nossa identidade como nação.

  • Apreciá-las nos permite derrubar fronteiras culturais e linguísticas, levando a uma compreensão profunda das civilizações mais distantes e das comunidades mais heterogêneas.
  • Músicas: O Uirapuru (Villa-Lobos) e O Pássaro de Fogo (Stravinsky).
  • Performance:

  1. Werner Silveira:Graduado em Percussão pela UFMG, percussionista da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais; professor convidado da Fundação Dom Cabral nas áreas de Arte e Gestão. Há mais de 15 anos, vem pesquisando sobre as relações entre as artes, a filosofia, a ciência, a gestão e a educação com o propósito de expandir nossa visão de mundo.
  2. Daniel Christófaro: Bacharel em violão com mestrado em performance musical pela UFMG. Atua como professor e instrumentista, apresentando-se como solista e camerista. Integrou diversos grupos instrumentais, entre os quais o Quinteto Dialeto, Duvideodó, Baião de Dois e Duo na Corda. É professor na Fundação de Educação Artística.

      II. MOMENTO 2 – QUADRA COBERTA: Apresentação “Bandeiras de Minas”

Bandeiras são símbolos visuais que representam determinados grupos sociais. Nas tradições mineiras, as bandeiras anunciam a chegada daqueles que, com seus cantos e danças, abençoam, fortalecem e alegram quem os recebem. Abrimos as portas de casa para receber as Bandeiras de Minas, com sua devoção aos santos do Congado e sua celebração ao nascimento de Cristo. Essa Minas que faz festa para celebrar a sua fé e levanta suas bandeiras para destacar a sua cultura. Em tempos de múltiplas bandeiras, é necessário buscar aquelas que revelem nossa história, nossas formas de pensar, ser e fazer do mundo um lugar melhor. As Bandeiras de Minas deste espetáculo simbolizam uma cultura de respeito, amor e paz.

O Espetáculo Bandeiras de Minas é uma produção do Grupo Sarandeiros do Colégio Santo Agostinho de Contagem. O Grupo existe desde 2010 e, atualmente, conta com mais de 100 estudantes do 4º ano do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio.

Os trabalhos do Grupo Sarandeiros provocam a transformação por meio das elaborações de espetáculos e coreografias inspiradas na cultura brasileira, marcada por usar diversidade étnica, geográfica e social. Com esse trabalho, o Grupo já participou de diferentes festivais nacionais e internacionais, representando Minas Gerais e o Brasil.

O Grupo é coordenado pelo Professor Petrônio Alves, Dançarino e Diretor Artístico do Grupo Sarandeiros da UFMG, mestrando em Educação pela UFMG; foi professor auxiliar por dois anos na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, responsável pela disciplina de Danças Populares Brasileiras; ministrou cursos de formação para a Seleção Brasileira de Ginástica Rítmica.

O Grupo conta ainda com os trabalhos de Elisânea Lima e Gerson Carvalho, bailarinos com larga experiência com a Dança Popular Brasileira, tendo em seus currículos diversas participações nacionais e internacionais junto ao Grupo Sarandeiros.

Compartilhe