Egito

15 de setembro de 2020

Compreender a arte egípcia é uma experiência de encantamento e espanto

A resposta para tal reação poderia ser reduzida à constatação óbvia de ser o Egito um dos maiores impérios da Antiguidade, daí a magnitude arquitetônica das pirâmides, a delicadeza dos hieróglifos, a precisão das esculturas que guardam as feições dos faraós, sem contar a aparência definida, simbolicamente, pelos artífices, para cada um dos deuses cultuados pelo seu povo.

No entanto, a permanência do que hoje chamamos Arte Egípcia, advém de uma potência humana mais profunda. O historiador de arte Ernst Gombrich, nos conta que o nome egípcio para escultor era, de fato: "Aquele que mantém vivo". A arte egípcia esteve a serviço da perpetuação da vida para além da morte e sua grandiosidade reside aí, pois nada que se sustente apenas na manutenção do poder seria capaz de ser tão sublime!

Quando percorremos os caminhos da arte através de legados deixados para a humanidade, a exemplo da civilização egípcia, o fazemos a fim de ampliar a compreensão da linguagem artística como construção humana, reconhecendo-a e valorizando-a como forma de significação da realidade e expressão de subjetividades e identidades sociais e culturais das quais fazemos parte. 

Se compreendemos o sentido disto, nos responsabilizaremos por preservar e , quem sabe, possamos atuar de forma crítica diante do mundo e de nossa própria participação criativa dentro dele.

Tai Nunes - Coordenadora de Arte 

Venha com a gente nessa viagem!

Mapa-do-Egito_Site_V3.jpg

Religião no Egito Antigo

No Egito Antigo a religião era politeísta, isso significa que os egípcios cultuavam diversos deuses, com papéis e características variadas. Eles eram cultuados em todo o Egito e também fora dele, chegando alguns até a Europa.

Os deuses egípcios têm muito em comum com os homens: podem nascer, envelhecer, morrer; além de possuírem um nome, sentimentos e corpo que deve ser alimentado.

No entanto, esses aspectos muito humanos escondem uma natureza excepcional: seu corpo, composto de matérias preciosas, é dotado de um poder de transformação e suas lágrimas podem dar nascimento a seres ou minerais.

Existem aspectos desses deuses em várias combinações: totalmente humanas, inteiramente animais, com corpo de homem e cabeça de animal, com o animal inteiro no lugar da cabeça (o escaravelho, por exemplo) ou com cabeça humana.

O panteão egípcio é o conjunto de deuses e deusas adorados no Antigo Egito.

Pante-o-eg-pcio_Site_V2.jpg

A escrita no Egito Antigo

Como os nativos não dominavam a escrita, as instruções eram ministradas através do Medu-Netru (símbolos), que os arqueólogos atuais denominavam “hieróglifos”. Os caracteres gráficos falavam diretamente ao subconsciente e despertavam a inteligência dormente no íntimo daqueles indivíduos, colocando-os em contato direto com os grandes arquitetos daquele tempo.

A-escrita_Egito_Site.jpg

O Filho de Anuket

A cultura e história egípcia sempre foi cercada por magia, seres fantásticos e acontecimentos fascinantes. Um povo envolto em tradições seculares que permeiam diversas áreas como a literatura, o cinema, as artes plásticas e a música. Poderosos deuses, animais fantásticos e um povo castigado pelas condições climáticas de um deserto implacável. Esse foi o contexto em que os estudantes do 6º ano foram inseridos e convidados a romper os limites de sua criatividade em uma proposta de produção textual que lhes apresentou Anuket, a deusa egípcia criadora do rio Nilo, e lhes oportunizou uma incrível e motivante viagem ao passado, num tempo em que os homens eram submetidos aos desejos e caprichos dos deus. Um tempo em que apenas o filho de uma deusa, compadecido do sofrimento humano, abriu mão da superioridade advinda de suas origens, para se dedicar às causas dos mortais.

Os textos produzidos pelos estudantes do 6º ano traduzem a magia de um universo mítico que fascina e encanta o imaginário de adultos e crianças.

Confira todas as criações no Livreto Virtual. 

Manifestação artística dos nossos alunos

Cultura da civilização do Antigo Egito

Nas aulas de história, os estudantes do 6º ano tiveram a oportunidade de conhecer aspectos variados da cultura da civilização do Antigo Egito. Realizaram pesquisas para conhecer o contexto histórico dessa civilização milenar, analisaram imagens e assistiram a alguns vídeos. Após esse trabalho investigativo, a professora solicitou que cada estudante representasse um dos aspectos da civilização do Antigo Egito de forma criativa. Deveriam escolher um aspecto marcante da civilização egípcia, criar o cenário, representar o fato marcante, fotografar, escrever uma breve explicação da representação e enviar para a professora.  Nesta atividade, o estudante poderia envolver outras pessoas da sua família.  Os resultados foram surpreendentes! Muita criatividade, coerência, leveza e demonstração da compreensão dos conteúdos estudados. 

CLIQUE AQUI e confira todas as fotografias!

Manifesta-o-Art-stica_6-ano-A_V2.jpgManifesta-o-Art-stica_6-ano-B_V2.jpg

Artes Visuais

Diante tamanha diversidade cultural, nossos estudantes do 6º ano refletiram, pesquisaram e representaram seus saberes na matéria de arte. Desenvolvendo, assim, diversas habilidades e demonstrando sensibilidade, autonomia e aprendizado.

Confira todas as criações nas galerias de fotos e vídeos.

Livreto Virtual - Produção de Textos

Download do PDF

Compartilhe: