Notícias

28 de fevereiro de 2020

A Campanha da Fraternidade 2020: ver, compadecer-se, cuidar

Departamento de Evangelização, Pastoral e Ação Social

Se é verdade que o ano só começa após a passagem do Carnaval, então 2020 tem a oportunidade de começar muito bem, pois já no dia seguinte ao término dessa grande festa, dá-se início à Campanha da Fraternidade, com o tema “Fraternidade e vida: dom e compromisso” e o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele (Lc 10,33-34)”. Se a intuição desse lema estiver presente no calendário de 2020, as expectativas são de um ano bom!

A Campanha é uma grande mobilização de forças, sentimentos, engajamentos em torno de uma temática de relevância social para a vida brasileira. Toda campanha tem início e fim, objetivos claros a se alcançar e tomada de consciência sobre o tema em pauta. À esteira do tema de 2019, que abordou as políticas públicas, a CF 2020 vem anunciar a necessidade de se estar atento à solidariedade, mudanças e cuidados relativos ao bem-estar das pessoas. O Brasil é um dos países de maior desigualdade social: convivem em nossas terras a riqueza e a pobreza extremas, a fome/desnutrição e doenças recorrentes do uso descontrolado de açúcares e gorduras. Possuímos centros tecnológicos avançados, ao mesmo tempo em que convivemos com índices altos de analfabetismo. O Brasil é uma terra de contrastes, e não podemos ficar indiferentes a isso: eis a mensagem da Campanha da Fraternidade!

E é uma campanha de fraternidade, ou seja, envolve a todos nós como coirmãos, cidadãos pertencentes ao mesmo povo. Como origem, a Campanha da Fraternidade surge no seio do catolicismo, mas sua mensagem, por assim dizer, é universal, diz respeito a todos os cidadãos. Por isso mesmo, em várias de suas edições, conta também com parcerias e envolvimentos de diversas igrejas cristãs e grupos representativos da sociedade brasileira, ligados aos temas desenvolvidos.

Em 2020, o seu tema é inspirado na parábola do bom samaritano, narrada por Jesus no evangelho. Um judeu, seguindo o seu caminho, sofreu violências de bandidos que passavam por ali. Ficou à beira do caminho, ferido e sofrendo, quase à beira da morte. Ora, por esse caminho passaram um levita, um sacerdote, que nada fizeram. E passou, também, um samaritano, que viu o sofrimento daquele homem, parou com os seus afazeres e decidiu cuidar dele: tratou seus ferimentos, o levou para a cidade e tomou todas as providências necessárias.

No contexto bíblico, essa narrativa ganha contornos ainda mais interessantes se consideramos que os samaritanos eram inimigos históricos dos judeus, pois seus povos acumulavam conflitos antigos. Já o levita e o sacerdote, pelo próprio fato de serem representantes da religião judaica, cuja escritura máxima, a Bíblia, sempre anunciou o cuidado com os que estão sofrendo como uma virtude divina, são personagens que, apontados na narrativa de Jesus, denotam que a religião não consiste apenas em boas intenções, mas numa prática coerente de vida!

E essa prática coerente tem inspirado pessoas de boa vontade a olhar para a realidade brasileira, para os muitos pobres e excluídos e compadecer-se dessa situação, buscando cuidar e solidarizar-se, transformando as estruturas sociais a fim de serem mais inclusivas e a serviço da promoção humana e do bem comum. No âmbito da CF 2020, irmã Dulce (canonizada como Santa Dulce dos Pobres) e seu importante serviço de cuidado e assistência àqueles que mais necessitavam é uma inspiração a ser conhecida e reproduzida em nossa sociedade. Quais outros exemplos e inspirações você conhece, quando falamos de compaixão, cuidado e solidariedade?

Que, inspirados por esses valores, possamos ter um ano de 2020 melhor e mais justo!

Compartilhe