Notícias

06 de junho de 2022

Programa busca, por meio do diálogo, a construção do bem comum

"É preciso toda a aldeia para educar uma criança." Esse provérbio africano é uma das inspirações para a criação do "Aldeia que Educa", programa do Colégio Santo Agostinho que propõe diversas ações a fim de criar uma escola mais aberta e inclusiva, com maior disposição para o diálogo e, consequentemente, como parte de um processo de cura e de paz das relações interpessoais.

O programa é um grande guarda-chuva que abrange diversas ações de relacionamento com a comunidade educativa, atuando a partir da identificação, articulação e potencialização de projetos por meio da escuta e do cuidado de pais, alunos e professores. "O 'Aldeia que Educa' é uma comunidade em movimento, que a todo momento toma formatos que favorecem a comunicação e o diálogo para resolver os seus problemas. Assim, pretendemos mostrar que o diálogo e a diversidade de pensamentos e ideias de seus diversos integrantes ajudam o mundo a viver melhor", explica a diretora de Relações Institucionais e ASG do Colégio Santo Agostinho, Aleluia Heringer.

Para o programa, estão sendo produzidos conteúdos extremamente relevantes, distribuídos em diversos formatos e canais, como podcast e videocast em plataformas de streaming, programetes de rádio, além de palestras e rodas de conversa eventuais com as famílias sobre temas diversos, sempre sobre a educação de filhos. O material abrange temas como os dilemas que as crianças e jovens vivem e que educadores e adultos têm a obrigação moral de ajudá-los; os limites de atuação da família e da escola; a interferência saudável na formação integral dos estudantes; o envolvimento da comunidade no fortalecimento de uma cultura ecológica e de partilha, entre outros. "São reflexões sobre temas pertinentes à educação de uma maneira humana, acessível, em rede e com proximidade às famílias e os educadores", destaca Aleluia Heringer.

 

Corresponsabilidade e mais diálogo

Além dos conteúdos produzidos para rádio e streaming, o programa "Aldeia que Educa" conta com o projeto "Artesão da Paz", que é composto por pais e mães que se tornam facilitadores do diálogo entre a escola e as famílias em assuntos coletivos e que visem o bem comum. "O 'Artesão da Paz' é aquele que busca respostas quando uma informação gera ruídos por falta de contextualização ou de uma ação inesperada que pode impactar muitas pessoas. É aquele que nos aciona para esclarecer algo que seja do interesse de todos e se transforma em um facilitador que nos ajudará na mediação de conflitos ou em proposições que contribuam com a boa convivência", explica a diretora.

"Quando os adultos assumem, juntos, a responsabilidade pela educação dos jovens, são nossos estudantes os grandes beneficiados. Um ambiente de respeito mútuo, confiança e de paz é o mais adequado para a integridade emocional de todos. E essa colaboração efetiva e corresponsável é a melhor via para criar pontes de diálogo entre nossos jovens e a sociedade", afirma.

Compartilhe